Notícias

06 de dezembro de 2017 às 18:46h

​Ministro do Trabalho fala sobre modernização trabalhista durante palestra na FIEPI

O Diretor de Assuntos Econômicos da FIEPI, Freitas Neto, representou o presidente da instituição, Zé Filho

O ministro do Trabalho e emprego Ronaldo Nogueira fez palestra a empresários na sede da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI), em Teresina, nesta quarta-feira (6). O Diretor de Assuntos Econômicos da FIEPI, Freitas Neto, representou o presidente da instituição, Zé Filho. Ele deu as boas vindas aos presentes e salientou a importância da discussão ampla e democrática das mudanças trazidas pela modernização trabalhista e suas implicações.

Durante a palestra, o ministro do Trabalho reafirmou que o Brasil deve gerar cerca de dois milhões de empregos nos próximos dois anos. Segundo ele, o grande objetivo do governo nos próximos meses é incentivar que empresários contratem formalmente trabalhadores. Nogueira também frisou o papel do empresariado para fortalecer a economia. Conforme ele, "sem emprego, não há justiça social". O ministro ponderou dizendo que os empreendedores são peça-chave no processo de recuperação do país.

“Sem capital, não tem investimento. Sem investimento, não tem empreendimento. Sem empreendimento, não tem emprego. E sem emprego, não há justiça social. Se o Estado não tiver o empreendedor e investimento do capital, o Estado não vai arrecadar, e não vai ter como sustentar as instituições”, disse o ministro, frisando que as reformas trabalhistas são necessárias, para dar mais "segurança jurídica" ao trabalhador e ao empregador.

“A CLT foi um marco para o país, mas não podemos viver com os pés no século XXI e ter a cabeça no século XIX. A legislação trabalhista precisava ser modernizada”, afirmou. O ministro destacou os três eixos básicos da proposta de modernização da legislação trabalhista, que entrará em vigor em novembro: consolidação de direitos, segurança jurídica e geração de empregos.

As mudanças, segundo ele, são necessárias para adequar a legislação brasileira à disputa por investimentos, em comparação com outros países. Outro ponto citado durante a palestra foi a ampliação, em dezembro, de uma Escola Nacional em Inspeção do Trabalho, com objetivo de auxiliar em fraudes trabalhistas. O ministro Ronaldo Nogueira enfatizou ainda que, desde abril deste ano, vem ocorrendo crescimento constante do número de postos de trabalho formal.

“Precisamos fazer o esforço necessário para tirar o país da pobreza, e isso só será possível por meio do trabalho. Não há justiça social melhor que o emprego, e foi em nome dos 14 milhões de brasileiros que não possuem um segundo endereço, ou seja, um emprego, que resolvemos enfrentar todas as barreiras para aprovar a modernização”, disse o ministro. “O Brasil do futuro é o Brasil do emprego”, acrescentou.

Estiveram presentes ao evento representantes da Associação dos Jovens Empresários do Piauí (AJE); da Associação Industrial do Piauí (AIP); da Associação Piauiense de Empresários de Obras Públicas (APEOP); Presidentes de Sindicatos Patronais da Indústria; da Fecomércio, e empresários de diversos segmentos produtivos piauienses. O evento contou ainda com a presença do ex-senador João Vicente Claudino e Diretores do Sistema FIEPI.

Jânio Holanda -= ASCOM/FIEPI

Comentários